Seguidores

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Qual é o verdadeiro motivo da urgência?

Será votado nesta sexta-feira, dia 21, em sessão extraordinária, o Projeto de Lei nº 014/2014, que "Dispõe sobre a instituição do adicional de exigência curricular em favor dos Profissionais do Magistério e contém outras providências."

Na justificativa do projeto, o Prefeito Carlos Alberto Ramos de Faria afirma que está seguindo a sistemática do Governo de Minas Gerais.

Exigência curricular, no estado de Minas Gerais, são aulas de um mesmo conteúdo que, por exigência curricular, ultrapassam o limite do regime básico do professor e que, obrigatoriamente, têm que ser atribuídas a ele, por força da grade curricular. Esta situação somente se aplica aos professores que ministram conteúdos específicos (Português, Matemática e outros).

Exemplificando: A carga horária obrigatória do professor é de 16 horas-aula e ele leciona Matemática. A grade curricular de determinada turma é de 5 aulas por semana. Este professor deverá assumir, obrigatoriamente, 4 turmas, perfazendo um total de 20 horas-aulas. Se a carga horária dele é de 16 horas, 4 horas são consideradas exigência curricular, porque não pode haver 2 professores de Matemática para a mesma sala. 

Voltando ao Município de Santos Dumont:

Como não conhecemos a legislação municipal sobre o assunto, muito menos a sua carga horária obrigatória, chamamos a atenção para o seguinte:

1- O que é considerado exigência curricular para os professores PEB I, já que eles não ministram conteúdos específicos?

2- Se o prefeito está seguindo a sistemática do Governo do Estado, o projeto não deveria contemplar os Professores PEB II?

3- Com a substituição do dia de livre planejamento, já que os professores não são obrigados a aderir, o que acontecerá com eles? Ficarão em casa sem receber por atividades extra-classe (planejamento, correção de atividades e outros)?

4- Haverá um decreto regulamentando, já que não citado no projeto?

Como já dissemos, não conhecemos a legislação do município sobre este assunto, mas votar este projeto, em sessão extraordinária, sinaliza uma intenção de não dar tempo para a mobilização dos principais interessados no assunto.

Por que não conversar primeiro?  

PROJETO DE LEI N.º 014/2014




    

    

2 comentários:

  1. Alô senhor prefeito e demais pessoas interessadas.... Como sempre o professor se ferrando com voces!!!! Parabens senhor prefeito! to gostando de ver.... Porque nao falamos um pouco mais aqui no site sobre o hospital?? A politicagem no começo de mandato foi boa!! Deputado conseguiu fazer a parceria com o HU pra cá... e agora??? vamos publicar que o HU nao esta mais no nosso hospital????? Cadê o samu??? ta complicado...

    ResponderExcluir

Por favor leia antes de comentar:

1. Recomenda-se critérios nas postagens de comentários abaixo, uma vez que seu autor poderá ser responsabilizado judicialmente caso denigra a imagem de terceiros. O aviso serve, em especial, aos que utilizam ferramentas de postagens ocultas ou falsas, pois podem ser facilmente identificadas pelo rastreamento do IP da máquina de origem.
2. Os comentários são todos moderados;
3. Escreva apenas o que for referente ao tema;
4. Ofensas pessoais ou spam não serão aceitos;
5. Comentários Anônimos serão deletados:
6. Comentário escrito caixa alta (todas as letras maiúsculas) serão deletados.

Obrigada por sua visita e volte sempre!